sábado, 4 de fevereiro de 2012

Em clássico polêmico, Náutico e Santa Cruz ficam no empate


Num Clássico das Emoções eletrizante nos Aflitos, Náutico e Santa Cruz ficaram no empate, em 2x2, pela sétima rodada do Pernambucano Coca-Cola. As duas equipes fizeram um belo papel no gramado. No entanto, o árbitro Emerson Sobral acabou sendo o destaque do jogo. De forma negativa. No primeiro gol do Santa Cruz, o árbitro não marcou falta em Souza, o que causou o contra-ataque do Santa Cruz. No final do jogo, mais confusão. Já nos acréscimos, quando o placar estava 2x1 para o Tricolor, Sobral marcou pênalti (inexistente) para o Timbu. Ao final do jogo, os atletas do Santa Cruz foram para cima do árbitro e aplaudiram de forma sarcástica.
Náutico e Santa Cruz  fizeram um primeiro tempo digno do Clássico das Emoções. Duas equipes que entraram em campo buscando sempre o ataque. Os dois goleiros, Gideão e Tiago Cardoso, tiveram bastante trabalho. O Timbu, como era esperado, tomou a iniciativa do jogo. Nos primeiros dez minutos, o Timbu já havia obrigado o camisa 1 coral a fazer duas boas defesas. Enquanto o Santa Cruz jogou mais fechadinho, esperando a hora certa para contra-atacar. Foi dessa forma que o Tricolor abriu o placar num lance polêmico.
Aos 10 minutos, Souza arranca num rápido contra-ataque, toca para Cascata e recebe de volta. Quando vai invadir a área, o volante é tocado e cai. O árbitro Émerson Sobral, no entanto, assinala impedimento do meia Cascata. Os jogadores alvirrubros vão reclamar da arbitragem. O Santa Cruz, rapidamente, reinicia o jogo e Carlinhos Bala lança Flávio Recife, que invade a área e toca na saída de Gideão: 1x0. Valeu a esperteza de Carlinhos Bala, que pediu à zaga para cobrar rápido e pegar o Náutico desprevinido.

Após o gol, o Santa Cruz começou a sair mais. Natan, arisco, conseguiu amarelar dois jogadores alvirrubros, com boas jogadas pela meia-esquerda. Aos poucos, o Náutico foi  se soltando e o Santa voltando a explorar os contra-ataques. O recuo tricolor chamou a equipe alvirrubra para cima. Até que o meia Cascata, aos 24 minutos, recebeu a bola dentro da área e arrematou no canto esquerdo de Tiago Cardoso, empatando a partida. Cascata ainda teve duas oportunidades claras para ampliar o placar. Na primeira, na entrada da pequena área, chutou para longe. Na segunda, tentou desviar do goleiro, acabou se enrolando e a bola foi fácil para as mãos de Tiago Cardoso.
Para a segunda etapa, o técncio Zé Teodoro modificou o Santa Cruz. Luciano Henrique entrou na vaga Anderson Pedra, deixando a equipe mais solta, permitindo mais velocidade nos contra-ataques. E foi justamente num deles que o Santa encontrou o segundo gol. Após receber em velocidade, Luciano Henrique ganhou a dividida do zagueiro alvirrubro e cruzou para dentro da área. O volante alvirrubro Elicarlos, tentando tirar, acabou  mandando para o fundo das próprias redes. A partir do gol desempate, o Santa se fechou, com a entrada de Sandro Manoel no lugar de Natan. Mas continuou explorando os contra-ataques. Num deles, Carlinhos Bala avançou e chutou forte e Gideão fez grande defesa. 

Quando a partida já estava nos acréscimos, mais um lance polêmico no jogo.  Após cruzamento na área, Souza recebeu marcado de perto por Leandro Souza. O meia alvirrubro caiu e o árbitro Emerson Sobral assinalou pênalti.  Souza cobrou com categoria, no canto esquerdo de Tiago Cardoso, empatou o jogo.  Ao final da partida, os jogadores do Santa foram para cima do juiz e aplaudiram Emerson Sobral, de forma irônica. Ambas as torcidas se encontravam revoltadas. Do lado alvirrubro, com o rendimento do seu time. O volante Derely e o técnico Waldemar Lemos chegaram a ir até o alambrado para discutir com os torcedores. Pelo lado do Tricolor, como não poderia deixar de ser,  as reclamações recaíram para o árbitro da partida.
Ficha do jogo
Náutico: Gideão, Lenon, Marlon, Diego Bispo e Jéferson; Souza, Elicarlos, Derley, Cascata (Berger) e Eduardo Ramos (Doriélton); Siloé. Técnico: Waldemar Lemos.

Santa Cruz: Tiago Cardoso, Eduardo Arroz, Leandro Souza, André Oliveira (Éverton Sena) e Dutra; Anderson Pedra (Luciano Henrique), Memo, Léo e Natan (Sandro Manoel); Flávio Recife e Carlinhos Bala. Técnico: Zé Teodoro.
Local: Estádio dos Aflitos
Árbitro: Émerson Sobral.
Assistentes: Ubirajara Ferraz e Clóvis Amaral. 
Gols: Flávio Recife, aos 11 minutos, Cascata, aos 24 do primeiro tempo. Elicarlos (contra), aos 15, e Souza, aos 49 minutos do segundo tempo. 
Cartões amarelos: Derley, Jéferson, Eduardo Ramos, Souza, Elicarlos, André Oliveira, Anderson Pedra, Flávio Recife, Dutra, Leandro Souza, Carlinhos Bala e Léo.

Blog do Torcedor

Nenhum comentário:

Postar um comentário