segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

No duelo dos pássaros, venceu a Patativa


América e Central enfrentaram-se neste domingo dispostos a salvar seus treinadores da corda bamba sobre a qual eles se equilibram – com esforço – desde o início do Campeonato Pernambucano. A Patativa foi mais bem-sucedida na tentativa. Mesmo tendo sofrido pressão durante todo o segundo tempo, o time do técnico Alemão venceu por 2×1, no Estádio Ademir Cunha, e garantiu o ex-volante no cargo.
Já Paulo Júnior, comandante do Mequinha, ainda não foi demitido, mas a volta por cima que lhe assegure a permanência à beira do gramado soa quase impossível. O Alviverde continua na lanterna, com apenas um ponto. A equipe de Caruaru saltou para a oitava posição e está a três pontos de distância do G4.
A etapa inicial foi um tanto lenta, com poucas emoções. As duas equipes até saíram para buscar o ataque, mas faltava qualidade. O jogo ficou truncado no meio de campo. Ninguém teve a supremacia em momento algum. O América apostava nas investidas pelas laterais, principalmente com Roma, na direita. A grande dificuldade era a inoperância do centroavante do time, Edinho Recife, que teve participação quase nula no confronto.
O Central, por outro lado, concentrava suas ações no meio. A dupla de armação, Lenílson e Tiago Silva, entendeu-se bem e articulou as principais chances de gol. O primeiro tento da Patativa nasceu exatamente daí, aos 34 minutos. Em contra-ataque, Silva lançou Lenílson no lado esquerdo da área. O camisa 10 alvinegro deu um tapa na bola e chutou forte: 1×0.
Depois de sair na frente, o time de Alemão, disposto a segurar o resultado, recuou. O América partiu para cima, mas só conseguiu agredir, mesmo, o adversário, na segunda etapa. Paulo Júnior, no intervalo, sacou Ricardo Mineiro, meio-campista, e colocou Falcão, atacante. A nova configuração do Alviverde deu resultado imediato.
Antes dos quatro minutos, já havia criado duas oportunidades de gol e empatado a partida. O baixinho atacante Juliano Roma, que fez boa partida, antecipou-se à zaga caruaruense e testou firme para a barra defendida por Hélder. Aos 14, porém, o atacante Pimenta desempatou para a Patativa: 2×1.
O Periquito lançou-se ao ataque com ainda mais ímpeto. Tentou, chutou, mas não conseguiu passar pelo arqueiro adversário – principal responsável pelo resultado. Desta maneira, o Mequinha segue lamentando-se por não vencer no Pernambucano e espera ansiosamente pelo primeiro triunfo. “Nossa situação está muito difícil. Esperávamos ganhar essa partida. Mas eu não acho que é mexendo no técnico que vamos melhorar”, desabafou o presidente do clube, João Antônio Moreira, depois do jogo.

Blog de Primeira.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário