segunda-feira, 26 de março de 2012

Clássico fraco ajuda Sandro Meira Ricci


 
Depois de trabalhar bem em dois jogos – América x Porto e Belo Jardim x Santa Cruz – a expectativa era enorme para a participação do árbitro Sandro Meira Ricci no Clássico dos Clássicos entre Náutico e Sport. E as duas equipes acabaram ajudando o juiz do Distrito Federal, contratado pela Federação Pernambucana de Futebol para melhorar o nível de arbitragem do Estadual.
O fraco nível técnico da partida ajudou Sandro Meira Ricci a conduzir o jogo sem maiores problemas. Isso porque inexistiram lances de pênalti não marcado, gol invalidado, impedimento mal marcado ou que deixou de ser sinalizado. Sem coisas deste tipo, os atletas não puderam contestar de forma mais exacerbada. Aliás, era nítido que eles se dirigiam ao juiz da Fifa com mais respeito.  E como não teve qualquer influência no resultado da partida, empate por 0x0, a atuação de Sandro Meira Ricci pode ser considerada boa.
Porém, o juiz não ficou livre de reclamações. O técnico Waldemar Lemos começou sua entrevista coletiva citando o lance da falta de Rivaldo em Souza, logo no começo da partida. O volante alvirrubro acabou deixando o jogo lesionado após esta jogada. “Parece que voltamos aos anos 70, quando se dizia que não podia se dar cartão no começo do jogo. De que adianta trocar (a arbitragem) se os mesmos erros continuam?”, indagou Waldemar Lemos.
Do lado rubro-negro, o zagueiro Tobi achou que o árbitro usou o mesmo critério para os dois lados. “Renê merecia ter levado um cartão amarelo, mas alguns jogadores do Náutico fizeram o mesmo tipo de falta e ele também não deu cartão. Então, teve critério”, disse Tobi.
Em relação aos cartões, de fato Sandro Meira Ricci foi econômico no primeiro tempo. Apenas Bruno Aguiar foi punido, após falta em Siloé. Pelo menos mais duas jogadas mereciam de punição. A falta de Renê em Auremir, aos 35 minutos, e logo na sequência a de Derley em Moacir. O lance de Rivaldo em Souza, citado por Waldemar Lemos, a impressão é que a contusão foi mais uma casualidade.
No segundo tempo, o árbitro fez o uso do amarelo seis vezes. Diogo e Rithely foram punidos pelo lado do Sport, enquanto Derley, Eduardo Ramos, Siloé e Tozo pelo Náutico. O jogo teve muitas faltas – o Timbu cometeu 36 e o Leão 28.
Já na parte física, Sandro Meira Ricci mostrou que está muito bem. Acompanhou as jogadas de perto, sempre procurando se posicionar na diagonal. Ele também tentou coibir o agarra-agarra dentro da área, em lances de bola parada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário