domingo, 11 de março de 2012

Mais uma vez a velha dúvida


Dois tempos distintos… Vitória sertaneja na primeira etapa e supremacia Timbu na segunda. Resultado: 1×1. Este também foi o placar do duelo entre Petrolina e Náutico no estádio Estádio Paulo Coelho, em Petrolina, ontem, pelo Campeonato Pernambucano. Os gols foram marcados por Lau, para os donos da casa, e Eduardo Ramos, deixando tudo igual no segunto tempo. Com o empate, os alvirrubros permanecem na terceira colocação, agora com 33 pontos. Já a Fera segue fora do pelotão da frente. Os sertanejos caíram o sexto lugar, agora com 22.
O jogo aberto implementado no primeiro tempo de jogo, fez com que os adversários se apresentassem em pé de igualdade. A diferença entre os adversários foram as chances de gol e a pontaria. Os visitantes alvirrubros tiveram pelo menos três oportunidades claras de abrir o marcador. A melhor chance surgiu com o atacante Siloé, que viu o seu gol ser impedido pelo meia Cinho, afastando uma bola em cima da linha. Já os anfitriões só precisaram de duas oportunidades para balançar as redes. E em uma delas, conseguiu o êxito. Aos 33 minutos, o meia Cinho cobrou falta e acertou a cabeça de Lau. 1×0!
Foi o jogo voltar do intervalo que o Náutico quase chegou ao gol de empate. Uma verdadeira blitz alvirrubra foi instaurada dentro da área da Fera Sertaneja. O Timbu teve, em sequência, pelo menos três chances de empurrar a bola para a meta de Jaílson. Tudo começou com Rodrigo Tiuí que cruzou uma bola rasteira e a zaga afastou. Na sobra, Eduardo Ramos mandou novamente para o atacante. O grito de gol só não foi ouvido porque a defesa da Fera Sertaneja mais uma vez afastou a bola em cima da linha. Então, Souza pegou o rebote e chutou para grande defesa de Jaílson. O Petrolina só respirou quando a zaga conseguiu afastar a bola para escanteio.
E se dentro da área o pé parecia descalibrado, aos 19 minutos, Eduardo Ramos resolveu tudo com um golaço. A bola chegou para o atacante Siloé, que fez o pivô e tocou para o camisa 10 alvirrubro. O meia então mandou de pé esquerdo uma bomba, de fora da área, na gaveta de Jaílson. Durante todo o segundo tempo o Náutico se mostrou melhor que os donos da casa. O Petrolina só assustou no final do jogo, com dois lances que obrigaram o goleiro Gideão a trabalhar dobrado.
PETROLINA
Jaílson; Gustavo, Lau, Sidnei e Jéferson Petrolina; Júlio, Fábio (Alan) (Jandir), Cinho e Giovani (Jeffinho); Diogo Carioca e Anderson. Técnico: Pedro Manta.
NÁUTICO
Gideão; Marquinho (Rodrigo Tiuí), Marlon, Léo (Ronaldo Alves) e Jefferson; Souza (Elicarlos), Lenon, Derley, Auremir e Eduardo Ramos; Siloé. Técnico: Waldemar Lemos.
Local: Estádio Paulo Coelho, em Petrolina
Árbitro: Ricardo Jorge
Assistentes: Albert Júnior e Wilton Lins
Gols: Lau (aos 33 do 1ºT) e Eduardo Ramos (aos 19 do 2ºT)
Cartões Amarelos: Lau, Anderson (P); Sousa, Léo, Derley (N)
Renda: R$ 33.235 - Público: 4.510

FolhaPE.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário