sexta-feira, 19 de junho de 2015

Conmebol vê brecha e admite regra diferente do Brasileiro no caso Neymar

Regulamento da Copa América (Foto: Site da Copa América)
Conmebol vê brecha e admite regra diferente do Brasileiro no caso Neymar

O segundo parágrafo do artigo 29 do regulamento da Copa América é o que pode fazer Neymar cumprir apenas um jogo de suspensão automática, e não dois, mesmo tendo recebido o segundo cartão amarelo no torneio no primeiro tempo e o vermelho minutos depois do apito final. A Conmebol anunciou na tarde desta quinta-feira que o atacante está suspenso, a princípio, por uma partida, a de domingo, contra a Venezuela.

A brecha encontrada pela CBF, aparentemente com a anuência da Confederação Sul-Americana de Futebol, não é fácil de entender. O parágrafo terceiro do mesmo artigo diz que se um jogador for expulso pelo cartão vermelho direto, caso de Neymar, toda punição que ele tiver recebido na mesma partida continuará em vigor. Ou seja, o cartão amarelo, que o suspenderia da partida de domingo, estaria mantido, e ainda haveria uma suspensão pelo vermelho.
Mas, de acordo com as palavras de Caio César Vieira Rocha, presidente do Tribunal Disciplinar da Conmebol, a expressão "próxima partida", na primeira linha do parágrafo segundo, pode dar a interpretação de que a suspensão automática só poderia ser cumprida no jogo seguinte: contra a Venezuela. Isso deixaria o atacante previamente livre para disputar as quartas de final se o Brasil conseguir sua classificação no domingo.
Ao reduzir a pena prévia de Neymar, a Conmebol age diferente, por exemplo, do Campeonato Brasileiro. No torneio mais importante do país. se um jogador recebe o terceiro cartão amarelo e o vermelho direto no mesmo jogo, fica suspenso automaticamente das duas próximas partidas.
– No Brasileiro é diferente. São 38 partidas, enquanto na Copa América são no máximo seis. No Brasileiro se suspende com três cartões amarelos, na Copa América com apenas dois – citou Rocha, utilizando a proporcionalidade como argumento para punir Neymar automaticamente com apenas uma partida.
Na tarde desta sexta-feira, o Tribunal vai anunciar se o atacante brasileiro receberá alguma suspensão pelos incidentes citados pelo árbitro chileno Enrique Osses na súmula: a bolada em Armero já com o jogo encerrado e a cabeçada no zagueiro Murillo. Foram esses incidentes que causaram o cartão vermelho para Neymar.
Mesmo sendo presidente do Tribunal Disciplinar, Caio César Rocha não participa da comissão que tomará a decisão por ser brasileiro, compatriota de um dos jogadores envolvidos e julgados. O fato é que Neymar chegará ao julgamento suspenso apenas para o jogo de domingo. Lucro diante dos dois jogos prévios, anunciados pela mesma Conmebol ainda no estádio Monumental de Santiago, logo depois da partida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário