segunda-feira, 1 de junho de 2015

Juiz relata objetos atirados no campo. Identificação ajuda o Corinthians

Juiz relata objetos atirados no campo. Identificação ajuda o Corinthians

O árbitro Vinicius Dias Araújo, do clássico Corinthians 0 x 2 Palmeiras, em Itaquera, relatou na súmula o arremesso de objetos no campo. O juiz informou que os materiais foram lançados pela torcida alvinegra. Porém, o documento entregue à CBF apresenta a identificação dos autores dos incidentes, fato que pode isentar o Corinthians de punição e perda de mando de campo.
Vinicius Dias Araújo não citou na súmula a presença de um drone, que sobrevoou o estádio com uma camisa do Guaraní-PAR, em provocação aos corintianos.
"Informo que com 1 minuto de partida foi arremessada na área de pênalti defendida pelo goleiro do Palmeiras uma lata de cerveja, de onde encontravam-se torcedores do Corinthians, sem atingir ninguém. Objeto este entregue ao cabo da PM Sr. Fabrício o qual identificou e deteve o torcedor", escreveu o árbitro.
"Aos 46 minutos do primeiro tempo, logo após a marcação do segundo gol da equipe do Palmeiras, foi arremessado no campo de jogo um porta objetos, de onde encontravam-se torcedores do Corinthians, não atingindo ninguém. Objeto este que também foi entregue ao cabo da PM", prosseguiu.
O artigo 213 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva informa que o arremesso de objetos pode render multa e perda de mando de campo. Mas o mesmo artigo informa que a identificação dos autores e a inexistência de gravidade podem tirar a responsabilidade dos times envolvidos.
"A comprovação da identificação e detenção dos autores da desordem, invasão ou lançamento de objetos, com apresentação à autoridade policial competente e registro de boletim de ocorrência contemporâneo ao evento, exime a entidade de responsabilidade, sendo também admissíveis outros meios de prova suficientes para demonstrar a inexistência de responsabilidade", informa o artigo 213 do CBJD.

Nenhum comentário:

Postar um comentário